Cairo
      Trindade

 
 

o bom poema nasce com luz, cria asas.          o bom poema põe o coração em brasa:         a alma goza, papel e tinta se casam.          o bom poema é o que ilumina e arrasa.                  Cairo de Assis Trindade



Enigma


sou este ponto de espanto
no entra-e-sai – no vai-e-vem
metade de mim é quando
a outra metade é quem

parte em mim é desespero
outra parte desencanto
só sei ser múltiplo inteiro
quando eu amo – quando eu canto

tento juntar os pedaços
passos, pessoas passadas
não sei onde estão meus rastros
meu retrato mais exato

entre estes cacos e restos
nem perfil nem biografia
se me perdi nos meus versos
um dia viro poesia

 


Graça

pela poesia que vi
pelos sonhos que sonhei
pelas coisas que curti
pelas mulheres que amei

pelo que dei e perdi
por ti e por quem nem sei
por tudo até agoraqui
o que sofri e cantei

pelo sim e pelo não
a vida não foi em vão
 



Celebração

hoje é sempre melhor
do que ontem,
porque hoje é hoje,
esta coisa mágica,
única, surpreendente,
que se acaba de repente.

hoje é melhor
do que amanhã,
porque hoje é hoje
e estamos vivos
e plenos de tanto,
até não se sabe
como e quando.

hoje é sempre
melhor que sempre,
porque o hoje foge,
amanhã é um mistério
e ontem é só memória,
história, já era.

hoje é sempre
o maior presente,
porque a vida é agora,
esta hora de som
e luz e festa,
e este instante é tudo
o que nos resta.
 


... tanto faz, tanto faz...                 eu quero é ficar contigo,                assim nós dois nus, em paz. 


Quintanar

 
nada mais dura:
tudo é pressa pura

tudo se acaba
e se perde:
as pedras, prédios, impérios

tudo o que perdura
são as nuvens
o arco-íris e os vaga-lumes
das noites de primavera

o mais é literatura
 


Sedução
(Inspirado em um poema de Affonso Romano de Sant'Anna)
Para Denizis, minha musa

Que barato é encontrar-te 
frente a frente
e ser levado a te levar pra cama
e ver-te nuassim, tão de repente
a me encarar tão fundo 
e desnudar tão lento
que, entregues um ao outro 
tão completamente, até nos perdemos 
entre as nuvens e os lençóis...
e em nossa troca de abraços 
beijos sensações
já nem sabemos mais 
onde começas tu
onde me acabo eu 
e nos fundimos nós.

Que vertigem! Que viagem! 
Que desbunde,
quando meu corpo 
com o teu se confunde!
 


Meu Poema              que seja sempre                uma obra-prima             desde o nome             até a rima



Tomografia


ninguém imagina
que sou deprê, tenso,
e trago uma dor 
constante, no peito.

ninguém desconfia
que eu sofro de insônia,
que sou muito louco
de excesso de sonho.

ninguém acredita
que eu guardo uma surda
tristeza, lá dentro.
tão forte, tão funda.

porque eu levo um riso
debochando sempre
do que me tortura

e bem escondidas
de mim e do mundo
as marcas das feridas

e das fraturas.
 


In Extremis

Quero que venhas, 
cheia de desejos,
com a alma nua, 
a me cobrir de beijos.

Quero que entres plena,
tragas mil carícias,
sede por lascívias, 
fome de prazer.

Quero que chegues
como quem vai matar.
E que fiques,
como quem vai morrer.

 


quando       en       caixa       em       cima       en       caixa       em       baixo 



Cais do Caos
                           
inspirado em Cristiane Brito


Quero qualquer cara
que me queira inteira,
assim como sou,
do jeito que estiver.

Quero um homem
que me coma,
que me ame como
uma mulher.

Quero ser descoberta,
desbravada,
como uma estrada
que leva ao cais do caos.

E viver destroçada,
de paixão em paixão.
Depois ficar só,
chorar, doer, sangrar.

E morrer de tesão.

 


Qualquer Cenário

Tanto faz, numa cama linda,
com lençóis de seda
e almofadas, em colchão macio,

como no chão duro e frio
de um quarto pobre,
numa velha casa de subúrbio,

ou até mesmo ao ar livre,
na grama ou na areia,
debaixo de qualquer céu.

Tanto faz, tanto faz...
eu quero é ficar contigo,
assim nós dois nus, em paz,

totalmente entregues, 
um dentro do outro,
curtindo tudo o que nos apraz.

 


como dizer quem come                     se, quando nos amamos,                  temos a mesma fome?



Cantor do Amor


Eu queria ser o poeta
dos sem-terra e dos sem-teto;
servir, como um anjo da guarda,
aos tristes e deserdados;

ser o arauto dos sem-voz,
dos loucos, perdidos e sós;
dos feios, fracos, falidos,
sem porra nenhuma, na vida. 

Eu queria ser o poeta
de todos os que não deram certo;
sem deixar, por um instante,
de ser o cantor dos amantes.

 


Último Poema


Esta noite eu tomaria todas as drogas do mundo,
beberia todos os oceanos
e transaria homens e mulheres
até morrer, dilacerado de dor.

Esta noite eu faria qualquer coisa,
por mais louca e absurda que fosse,
pra não sentir este vazio broxante
e esta puta angústia, velha e avassaladora.

Eu me converteria e cometeria todos os vícios,
sobretudo os que aprendi no hospício,
e mergulharia fundo na depravação,
igual a que praticávamos na prisão.

Depois, poderia morrer, sem pressa nem tristeza,
porque experimentei o inferno e o paraíso
e me redimo em ter feito com o corpo
os mais belos poemas que não ousei compor.

Por fim, me entregaria a deus e ao diabo,
perplexo como o menino que fez arte
e jamais conseguiu ser um artista
ou o artista que esqueceu de ser menino

e de repente descobriu que é tarde.
 


quando a gente nasce,      nasce nu, os pés descalços.       vive toda a vida         sob capas, couraças, máscaras.         desnudar os ossos         é a desforra da morte.  



Transbordamento

a inspiração às vezes 
cai, às vezes, ai,
nem bem vem, passa
perto e, na hora, vupt,
voa, vai embora.

como a vida que se esvai,
um dia esta pálida página
há de ficar vazia.
agora eu tô por fora
e não tô prosa
nem poesia.

 


Vate em Transe


poema só se faz poesia
se emitir mensagem
se tiver magia
se for viagem

(o poema não é um monte
de palavras vomitadas:
é um vírus visceral
revolucionário)

e um poeta só será poeta
se for fundo, inteiro, intenso
e viver sempre entre
a vertigem e a voragem

 


Dúvida Cruel
para Thereza Christina


não sei se fico
na internet
liga a tevê
vejo a net

não sei se saio
pinto o 7
enfrento o trânsito
e pivete

ou faço amor
tête-à-tête
aqui em meu kitsch
kitchenette

não sei se vou
pro Tibet
ou corto os pulsos
com gilete
 


quem será este menino              que, sem ver, envelheceu?              serei ele            ou           será eu?



PEQUENO GORJEIO
para Octávio Paz


Canta a passarada
e não sabe o que canta:
tudo o que conta
é a sua garganta.

Canta a passarada
sem porquê, nem por quem.
É seu canto, mais nada,
e tudo bem.

Canta passarada
de graça, na boa.
Só ouve quem vive.
E quem voa.

 

 
Pileque de Palavras


entro no poema sem pedir licença
sem medir limites – livre e sem pudor
entro de cabeça entro inteiro dentro

desnudo e em espasmo mergulho me perco
me afogo e me engasgo – susto transe surto
quase sofrimento quase-quase orgasmo

saio do poema como quem renasce
tonto e muito louco – quase sangro sempre
quase sempre gozo y sempre morro um pouco

 


Exílio

Com você, me sinto imenso,
qualquer encontro é sempre muito intenso:
me transportam a outras dimensões
quaisquer gestos, mínimos momentos.

Com você, a vida é uma loucura:
eu viajaria por qualquer lugar,
embarcaria em qualquer aventura
no inferno, na terra ou no meio do mar.

Com você, eu ficaria para sempre,
em silêncio e prazer, alheio a tudo.

Junto a você, eu poderia até morrer.
Aos apaixonados não faz falta o mundo.

A um apaixonado não faz falta nada.
A não ser o outro. Junto.



Resalva

a praça é do povo
com exceção do palanque
e do microfone

 


  frio e chuva             ai, teu abraço cai            como uma luva



Práxis
à Luana Trindade


mãos à luta!
depois, a gente curte, colhe
e come a fruta.
 


  não fossem os quases            eu teria encontrado           o meu oasis



Relatividade

Tudo é diferente
quando acontece
com a gente
 


  lua cheia         até minha aura         incendeia



Outono

as folhas caem
eu desmorono
 



Epifania

ruas, rios, céus, e sóis...
tudo existe só
por mim, por ti pra nós.

 


???              ela, toda exclamações !!!                ele, sempre reticências ...                  nunca acertaram os pontos :               a vida foi uma barra /              -- cheia de travessões --               até o ponto final .     



Identidade
 

O poeta & a puta
são iguais
em tudo:
ela sorrindo,
na luta;
ele sangrando
a cada canto.

O poeta & a puta
são irmãos
na vida:
ambos morrem
se entregando.



Dupla do Prazer


Memorabilia
 

guardam-se em memorandos os quês,
os quens, os quandos.
entre flashes perdidos no tempo,

desenha-se incerto esboço:
sonhos, sombras, rostos, nomes, toques, gostos.
recriam-se as cenas, os planos-seqüência.

carrega-se nas tintas, apagam-se alguns traços,
ganham vida personagens.
vestem-se as imagens,
engendrando gestos possíveis da engrenagem. 

congelam-se momentos
e se auscultam cérebro, coração e células.

abre-se o foco ao máximo
e se deixa ir o pensamento em liberdade pela página, 
pela mão, por improváveis cenários,

até alçar vôo nas asas do imaginário.
consultam-se agendas antigas,
velhos álbuns de retratos,

cartas extraviadas, vídeos,
vestígios velados nos desvãos do esquecimento.

revela-se, quadro a quadro,
o abismo entre memória e passado.



Labirinto

preso a meu corpo preso a meu peso
preso a meu porto - meu endereço

preso a meu nome preso ao presente
a meu telefone - meu desespero

preso a meu ego preso a meu preço
ao que carrego e ao que careço

preso ao pesares preso aos prazeres
preso ao prosaico a pressões preconceitos

preso a prazos horários agenda
conta bancária - quanta corrente

preso a números e documentos
preso ao desprezo que sinto por eles

detento de tantos, exilado em mim mesmo
sou refém e carcereiro

tenho as chaves e as algemas
e entre grades que eu invento

me liberto
no poema


 



 

... hoje é sempre o maior presente,                    porque a vida é agora,                esta hora de som e luz e festa,                 este instante é tudo              o que nos resta.



Comentários sobre o Poeta

A poesia de Cairo Trindade é uma fusão entre o rigor estético, 
a liberdade criativa e a ousadia  política. Essa trindade de técnica, 
inventividade e coragem desobediente está unificada 
em seus poemas com a mais pura "simplicidade". 
                                Eduardo Guerreiro


Cairo Trindade, gênio erótico, é um poeta de inspiração divina.
                                 Victor Giudice


Cairo consegue captar a alma feminina, como Chico Buarque de Hollanda.
                                   Olga Savary


Uma poesia-pulsão. E em permanente movimento de prazer.
                                    Marcus Vinicius


coisa espantosa:
nos versos de cairo
a língua portugoza.
                                         Carlito Azevedo


Poeta de vastas inquietações, capaz de dizer teatralmente seus poemas,
ainda que alguns sejam visuais.
                                           Gilberto Mendonça Teles


Cairo Trindade, em sua proposta fundadora, imprime estética ao sexo.
Faz performances onde os movimentos são
da melhor expressão corporal.
                                               Alvaro Sá


Professor/escritor que usa os obstáculos do aprendizado
para extrair o melhor dos freqüentadores de sua Oficina Literária.
                                                  Nei Leandro de Castro


Ótimo poeta que é, Cairo de Assis Trindade acredita no poder da Poesia.
                                                       Tanussi Cardoso


A obra de Cairo Trindade tem este dom único de intensidade,
coragem e leveza. Um prazer de ler e sentir.
                                                             Regina Garbelline e Décio de Mello

A poesia do Cairo mais do que pulsa nas veias, une a carne à essência. 
Dilacera com toda e qualquer indiferença.
                                                          Luiz Fernando Prôa

 


Entrevista concedida a Mônica Montone
Clique
aqui


Se você gostou, escreva para: cairotrindade@gmail.com
Ou indique o endereço: www.almadepoeta.com/cairodeassistrindade.htm

Veja também: www.almadepoeta.com/poetas3x4.htm


Poetas em Destaque


Clique na imagem acima.


home    galeria de arte    poetas em destaque    poetas 3x4    poetas imortais    colunistas    cinema    concursos

páginas pessoais     agenda poética     poetas no You Tube      fala poesia     histórico

Clique e entre



Seu site de poesia, arte e algo mais...

www.almadepoeta.com

Alma de Poeta
©Copyright 2000/2009 - by Luiz Fernando Prôa