No tempo em que os animais falavam

(conto)



Por Augusto Sérgio Bastos


 

 

 

No tempo em que os animais falavam, os homens viviam mudos.
Comunicavam-se por grunhidos e gestos.

Ainda ontem, num sinal de trânsito, dois homens gesticulavam e grunhiam.
De longe, nada se podia entender. De repente, abriram as portas
dos carros e um saltou sobre o outro. 

No carro azul, dois meninos choravam embaçando o vidro traseiro.
No outro, a menina de olhos azuis, nariz amassado no vidro lateral,
olhar estupefato, também chorava. Os três não tinham mais de dez anos.

Um tiro bastou para o silêncio total.

Na calçada, um cão e um gato brincavam, correndo atrás de uma bola azul.

 

Clique aqui para voltar à seção Artigos


home    galeria de arte    poetas em destaque    poetas 3x4    poetas imortais    colunistas    cinema    concursos

páginas pessoais     agenda poética     poetas no You Tube      fala poesia     oficina virtual      histórico

Clique e entre



Seu site de poesia, arte e algo mais...

www.almadepoeta.com

Alma de Poeta
©Copyright 2000/2008 - by Luiz Fernando Prôa